Preços do açúcar fecham em alta por preços do petróleo e demanda de etanol

Voltar
17/11/2017

O feriado da Proclamação da República no Brasil, celebrado na última quarta-feira (15), interrompeu o ciclo de alta do açúcar. Mas na sessão de ontem da bolsa de Nova York os preços retomaram seu movimento. No vencimento março/18, a commodity foi comercializada a 15.26 centavos de dólar por libra-peso, alta de 17 pontos. Na tela maio/18, a valorização foi de 13 pontos com negócios firmados em 15.22 centavos de dólar por libra-peso. Os demais contratos subiram entre sete e 11 pontos.
"A commodity vinha sendo pressionada pela desvalorização do petróleo depois que a Agência Internacional de Energia (AIE) apontou uma demanda abaixo do esperado este ano. O menor consumo do combustível também coloca em xeque a demanda por etanol diante das previsões de uma safra mais alcooleira na safra 2018/19 no Brasil", informaram os analistas do jornal Valor Econômico de hoje (17).
Em Londres, a tela março/18 teve contratos firmados em US$ 393,90 a tonelada, alta de 3,10 dólares. O lote maio/18 fechou cotado a US$ 398,20 a tonelada, um aumento de 2,80 dólares. Os demais vencimentos subiram entre 3,20 e 3,50 dólares.
Mercado interno
No Brasil, os preços do açúcar fecharam em baixa ontem, após longo período de alta sucessiva. A última queda de preços havia sido registrada em 9 de outubro. A saca de 50 quilos do tipo cristal fechou cotada em R$ 64,48, retração de 0,86%.
Etanol hidratado
Já o etanol hidratado, vendido pelas usinas paulistas, continua em alta. De acordo com o indicador da Esalq/BVMF, o biocombustível foi comercializado a R$ 1.749,00, alta de 0,06% em relação ao dia anterior.

Fonte: Agência Udop de Notícias

COMENTÁRIOS

0 comentários postados

Preços do açúcar fecham em alta por preços do petróleo e demanda de etanol

17/11/2017

O feriado da Proclamação da República no Brasil, celebrado na última quarta-feira (15), interrompeu o ciclo de alta do açúcar. Mas na sessão de ontem da bolsa de Nova York os preços retomaram seu movimento. No vencimento março/18, a commodity foi comercializada a 15.26 centavos de dólar por libra-peso, alta de 17 pontos. Na tela maio/18, a valorização foi de 13 pontos com negócios firmados em 15.22 centavos de dólar por libra-peso. Os demais contratos subiram entre sete e 11 pontos.
"A commodity vinha sendo pressionada pela desvalorização do petróleo depois que a Agência Internacional de Energia (AIE) apontou uma demanda abaixo do esperado este ano. O menor consumo do combustível também coloca em xeque a demanda por etanol diante das previsões de uma safra mais alcooleira na safra 2018/19 no Brasil", informaram os analistas do jornal Valor Econômico de hoje (17).
Em Londres, a tela março/18 teve contratos firmados em US$ 393,90 a tonelada, alta de 3,10 dólares. O lote maio/18 fechou cotado a US$ 398,20 a tonelada, um aumento de 2,80 dólares. Os demais vencimentos subiram entre 3,20 e 3,50 dólares.
Mercado interno
No Brasil, os preços do açúcar fecharam em baixa ontem, após longo período de alta sucessiva. A última queda de preços havia sido registrada em 9 de outubro. A saca de 50 quilos do tipo cristal fechou cotada em R$ 64,48, retração de 0,86%.
Etanol hidratado
Já o etanol hidratado, vendido pelas usinas paulistas, continua em alta. De acordo com o indicador da Esalq/BVMF, o biocombustível foi comercializado a R$ 1.749,00, alta de 0,06% em relação ao dia anterior.