Queima controlada como instrumento FITOSSANITÁRIO para o CONTROLE DE MOSCA-DOS-ESTÁBULOS é aprovada!

Voltar
23/09/2016

A Resolução conjunta da Secretaria do Meio Ambiente – SMA e da Secretaria de Agricultura e Abastecimento – SAA nº 01 de 16 de setembro de 2016, em vigor desde 17 de setembro de 2016, autoriza a queima CONTROLADA como instrumento FITOSSANITÁRIO para CONTROLE emergência e excepcional de surtos de “MOSCA-DOS-ESTABÚLOS (Stomoxys calcitrans). Tal medida serve para ajudar no controle da mosca, que tem causado prejuízos e maltratado animais. Essa mosca tem como hospedeiro a maioria dos animais e, inclusive, o homem.
 
Portanto, fica autorizada excepcionalmente a queima CONTROLADA, tendo como base os estudos técnicos-científicos já realizados pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento –SAA, que tiveram como único objetivo o controle da Mosca.
 
Para realizar a queima o interessado DEVE solicitar à Secretaria de Agricultura e Abastecimento – SAA um laudo técnico sobre a viabilidade da queima controlada no caso de INFESTAÇOES de mosca dos estábulos. Após realizar a solicitação, os técnicos têm até 10 (dez) dias uteis para emitir um laudo atestando a necessidade OU não do uso da queima controlada como medida FITOSSANITARIA. Tal autorização será emitida pela CETESB – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, com base do laudo técnico da SAA.
 
Deve-se deixar bem claro que a resolução que entra em vigor NÃO AUTORIZA A QUEIMA DA CANA-DE-AÇUCAR COMO MÉTODO DESPALHADOR E FACILITADOR DO CORTE.
 
A RESOLUÇAO SAA/SMA Nº 01, DE 16 DE SETEMBRO DE 2016, AUTORIZA A QUEIMA CONTROLADA COMO INSTRUMENTO FITOSSANITÁRIO PARA CONTROLE EMERGÊNCIA E EXCEPCIONAL DE SURTOS DE “MOSCA-DOS-ESTABÚLOS (STOMOXYS CALCITRANS).

Fonte: Fábio Soldera - Eng. Agrônomo

COMENTÁRIOS

0 comentários postados

Queima controlada como instrumento FITOSSANITÁRIO para o CONTROLE DE MOSCA-DOS-ESTÁBULOS é aprovada!

23/09/2016

A Resolução conjunta da Secretaria do Meio Ambiente – SMA e da Secretaria de Agricultura e Abastecimento – SAA nº 01 de 16 de setembro de 2016, em vigor desde 17 de setembro de 2016, autoriza a queima CONTROLADA como instrumento FITOSSANITÁRIO para CONTROLE emergência e excepcional de surtos de “MOSCA-DOS-ESTABÚLOS (Stomoxys calcitrans). Tal medida serve para ajudar no controle da mosca, que tem causado prejuízos e maltratado animais. Essa mosca tem como hospedeiro a maioria dos animais e, inclusive, o homem.
 
Portanto, fica autorizada excepcionalmente a queima CONTROLADA, tendo como base os estudos técnicos-científicos já realizados pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento –SAA, que tiveram como único objetivo o controle da Mosca.
 
Para realizar a queima o interessado DEVE solicitar à Secretaria de Agricultura e Abastecimento – SAA um laudo técnico sobre a viabilidade da queima controlada no caso de INFESTAÇOES de mosca dos estábulos. Após realizar a solicitação, os técnicos têm até 10 (dez) dias uteis para emitir um laudo atestando a necessidade OU não do uso da queima controlada como medida FITOSSANITARIA. Tal autorização será emitida pela CETESB – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, com base do laudo técnico da SAA.
 
Deve-se deixar bem claro que a resolução que entra em vigor NÃO AUTORIZA A QUEIMA DA CANA-DE-AÇUCAR COMO MÉTODO DESPALHADOR E FACILITADOR DO CORTE.
 
A RESOLUÇAO SAA/SMA Nº 01, DE 16 DE SETEMBRO DE 2016, AUTORIZA A QUEIMA CONTROLADA COMO INSTRUMENTO FITOSSANITÁRIO PARA CONTROLE EMERGÊNCIA E EXCEPCIONAL DE SURTOS DE “MOSCA-DOS-ESTABÚLOS (STOMOXYS CALCITRANS).

Mosca da Vinhaça